Glossário da Gestão Educacional e Acadêmica

GLOSSÁRIO DE GESTÃO EDUCACIONAL
TERMOS E FRASES UTILIZADAS
NO DIA A DIA DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO

GLOSSÁRIO DE GESTÃO EDUCACIONAL

Abandono

Configura-se quando o aluno deixa de frequentar a escola durante o andamento de determinado ano letivo. 

Aceleração de Estudos 

É a forma de propiciar a alunos com atraso escolar a oportunidade de atingir o nível de desenvolvimento correspondente a sua idade, mediante organização curricular da proposta pedagógica que definirá conteúdos, tempo necessário conforme o ritmo e desempenho do aluno, metodologias e procedimentos didáticos adequados.

Acervo

Refere-se à totalidade de documentos que compõem a coleção de fontes de informação. Qualquer tipo de documento que seja fonte de informação. O acervo pode ser destinado à pesquisa, consulta ou simplesmente à guarda.

Acompanhamento Pedagógico

Estratégia que auxilia alunos e alunas com dificuldades e demandas específicas de aprendizagem.

O atendimento e o planejamento individualizados possibilitam identificar as rotas de aprendizagem de cada criança ou jovem. Deve incluir o envolvimento da família.

Acordos, Ajustes e Convênios

Instrumentos legais para realização, em regime de mútua cooperação, de serviços de interesse recíproco dos órgãos e entidades da administração federal e de outras entidades públicas ou organizações particulares.

Afastamento para Qualificação

Situação de um servidor técnico-administrativo ou docente que foi dispensado das suas atividades técnicas, administrativas ou docentes, para realizar algum curso ou capacitação na sua área de atuação.

Alfabetismo Funcional

Criado nos Estados Unidos, na década de 1930, o conceito de alfabetismo funcional originalmente indicava a capacidade de entendimento de instruções escritas necessárias para a realização de tarefas militares.

Modernamente, o termo designa a capacidade de utilizar a leitura e a escrita para fins pragmáticos, em contextos cotidianos.

Segundo o Instituto Paulo Montenegro, que calcula o Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf), é considerada alfabetizada funcionalmente a pessoa capaz de utilizar a leitura, a escrita e habilidades matemáticas para fazer frente às demandas do contexto social e utilizá-las para continuar aprendendo e se desenvolvendo ao longo da vida.

Alfabetização

O processo pelo qual se realizam o ensino e a aprendizagem das noções elementares de escrita, leitura e cálculo, assim como a habilidade de ler e de escrever, com compreensão de uma declaração simples relacionada à vida cotidiana, e de fazer cálculos elementares.

Aluno

Indivíduo que está regularmente matriculado em uma disciplina ou curso ou, ainda, que já ingressou numa IE.

Aluno Desistente

Aluno que, por sua própria decisão, pede o cancelamento da sua matrícula como aluno do curso.

Aluno Desligado

Aluno que, por iniciativa da instituição e tendo em vista suas normas disciplinares, teve a sua matrícula no curso cancelada.

Aluno Matriculado

Diz-se do aluno que realiza sua inscrição formal em um curso após a apresentação de toda a documentação e cumprimento das formalidades exigidas.

Aluno Novo

Aluno que, após se submeter a processo seletivo, ingressa, pela primeira vez, em um curso.

Aluno Ouvinte

É aquele que assiste às aulas sem que esteja regularmente matriculado. Na maioria das instituições é necessária uma admissão formal para frequentar o curso.

Não existe controle de freqüência nem são concedidos os mesmos benefícios dos alunos regulares.

Aluno Portador de Necessidades Especiais

Aluno que apresenta limitações de ordem física (auditiva, visual, mental, motora), psicológica ou emocional ou ainda os portadores de habilidades especiais (superdotados).

Ambiente Virtual

Ambiente acessado por meio de redes digitais de computadores que possibilita a interação entre os agentes envolvidos.

Analfabetismo

O Censo Demográfico, principal instrumento de pesquisa aplicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), analfabetismo diz da não capacidade de leitura ou escrita “de um bilhete simples no idioma que conhece.”

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) considera analfabeto todos com mais de 15 anos de idade que não sabem ler, nem escrever.

Também são considerados analfabetos, aqueles que sabiam ler e escrever, mas esqueceram; as que apenas assinam o próprio nome; e aquele que se declaram “sem instrução” ou que declaram possuir menis de um ano de instrução.

Aprendiz

Adolescente, de 14 a 24 anos, empregado, que tem remuneração de um salário mínimo/hora, registro em
carteira de trabalho e garantia dos demais direitos trabalhistas, segundo a Lei de Aprendizagem (10.097).

Pela Lei, o trabalho do Aprendiz é também seu meio de aprendizagem – ele deve trabalhar por, no máximo, seis horas diárias, deve cursar ou ter concluído o ensino fundamental ou cursar o ensino médio e
deve participar de um programa de uma organização formadora na área em que atua ou pretende atuar.

Aprendizado coletivo (Crowdlearning)

É a busca colaborativa por conhecimento. Pessoas com interesses comuns se reúnem, virtualmente ou não, para compartilhar o que sabem e criar momentos de aprendizagem informal.

Esse tipo de compartilhamento não se restringe a informações escolares, como Matemática, Física, História. 

O grupo pode se reunir em qualquer lugar, para aprender e ensinar sobre qualquer coisa. Culinária, Informática e Dança são exemplos de aprendizado colaborativo, assim como a criação conjunta de uma enciclopédia online.

Aprendizagem baseada em projetos

É uma metodologia de aprendizagem em que os alunos se envolvem com tarefas e desafios para desenvolver um projeto ou um produto.

A aprendizagem baseada em projetos integra diferentes conhecimentos e estimula o desenvolvimento de competências, como trabalho em equipe, protagonismo e pensamento crítico.

Tudo começa com um problema ou questão que seja desafiadora, que não tenha resposta fácil e que estimule a imaginação. O método faz com que o aluno tenha um papel ativo para o seu aprendizado.

Aprendizagem maker

A metodologia possibilita o aprendizado a partir da experimentação. O aluno utiliza ferramentas de prototipagem rápida, como a impressora 3D e a cortadora de vinil, para construir suas próprias invenções.

Dentro de um espaço maker, o aluno assume o papel de protagonista e constrói o seu conhecimento a partir de experiências que envolvem erros e reparos constantes, criando conexões com o mundo real.

O professor atua como um facilitador e auxilia o aluno a se questionar sobre os próximos passos do projeto.

Aprovado

Aluno que concluiu, com sucesso, determinado ano ou série, apresentando os requisitos mínimos, previstos em lei, de aproveitamento e frequência para cursar no período seguinte o ano ou série imediatamente posterior.

Aproveitamento de Estudos

É a faculdade legal concedida à escola para que aproveite, em seus cursos e atividades, estudos realizados, com êxito, na própria escola ou em instituições.

Pode ser feito mediante apresentação de documento escolar referente às séries, períodos, ciclos, etapas ou apresentando registro de componentes curriculares estudados ou, na ausência de qualquer documento por deliberação de uma comissão da própria escola, que classifique na escola de destino o candidato no nível correspondente ao seu desempenho, no caso de estudos formais e não formais.

Aproveitamento Escolar

É a média das notas recebidas em cada disciplina durante o período letivo, resultado das avaliações do desempenho do aluno, feitas por meio de trabalhos, provas escritas ou orais, freqüência e outras atividades didáticas.

Arranjo Educativo Local

Arranjos Educativos Locais são conjuntos constituídos por pessoas e representantes de organizações de diferentes setores da sociedade, que se agrupam criando ambientes favoráveis às interações educativas, para o desenvolvimento local – tanto do território quanto dos sujeitos que nele habitam. 

No âmbito da Educação Integral, pode-se pensar em Arranjos Educativos Locais como propostas educativas que consideram que cada escola está inserida em um território com características próprias e que não existe, portanto, um formato único que dê conta de toda essa diversidade.

Aquisição de Acervo

Meio de se fazer a obtenção ou a formação do acervo. Pode ser feita por compra, por permuta ou através de doações recebidas.

Área Construída

Área de construção total de todos os prédios onde funcionam as diversas Unidades que compõem a Instituição de Ensino.

Área de Conhecimento

Conjunto de informações e referenciais metódicos, reunidas a partir de um dado ponto de vista, que mantêm relações de complementaridade recíproca.

A classificação de áreas do conhecimento pode variar entre países ou dentro de um mesmo país, dependendo da abordagem metodológica escolhida pelo classificador.

Atualmente no Brasil, a classificação mais conhecida e que tem sido utilizada para a pesquisa e a pós-graduação, é a Classificação de Áreas do Conhecimento do CNPq.

Para a classificação dos cursos superiores (graduação e seqüenciais) do país, a partir do Censo da Educação Superior 2000, o INEP utilizará a Classificação Internacional UNESCO/OCDE.

Área de Laboratório

Total da área construída ocupada com o funcionamento de todos os laboratórios de ensino e pesquisa existentes nas diversas Unidades que compõem a Instituição de Ensino.

Área Total dos Terrenos

A área total do terreno ou somatório das  áreas de todos os terrenos onde se encontram construídos os prédios em que funcionam as diversas unidades que compõem a Instituição de Ensino.

Associação de Pais e Mestres (APM)

Entidade civil com personalidade jurídica própria, sem caráter lucrativo, formada por pais, professores,
alunos e funcionários da escola.

Atua junto com o Conselho Escolar no acompanhamento da gestão da unidade escolar, participando de decisões relativas à sua organização e ao seu funcionamento, incluindo aspectos administrativos, pedagógicos e financeiros.

Atividades complementares

Atividades de livre escolha de cada escola que se enquadram como complementares ao currículo obrigatório, tais como atividades recreativas, artesanais, artísticas, de esporte, lazer, culturais, de acompanhamento e reforço ao conteúdo escolar, aulas de informática, línguas estrangeiras, Educação para a cidadania e direitos humanos.

Atividade Extra-classe

Atividades curriculares de caráter cultural, artístico ou cientifico realizadas fora do espaço geográfico da sala de aula, durante ou fora dos horários de aula.

Existem dois tipos, as atividades ordinárias previstas com antecedência e aprovadas pelo respectivo colegiado, e extraordinárias, não previstas, mas reconhecidas pela instituição.

Nas ordinárias a presença é obrigatória uma vez que está previsto no calendário acadêmico como dia letivo; nas extraordinárias é opcional, mas controlada.

Atividade-fim

É o processo ensino-aprendizagem que acontece em sala de aula, ou em laboratório, ou mesmo em quadra de educação física, biblioteca, ou ainda em outra dependência escolar.

Atividade-meio

É a atividade que dá apoio e suporte à concretização do objetivo último da organização. São chamadas também de atividades administrativas.

Autorizado (Curso/Habilitação)

Curso ou habilitação que obteve, da autoridade educacional pertinente (MEC/SESu/CNE/CEE), para as IE federais e privadas, e Conselhos Estaduais de Educação para as IE públicas (estaduais e municipais), a aprovação formal do pedido de encaminhamento feito por IE nova ou já em funcionamento.

Auxiliar de Biblioteca

Pessoa com curso de capacitação específica da área de Biblioteconomia, que realiza as atividades de empréstimo e de cobrança de livros, reposição dos mesmos nas estantes e digitação.

Avaliação

É o procedimento adotado pela escola para diagnosticar a situação real da aprendizagem do aluno em relação a indicadores de desempenho definidos em sua organização curricular.

A avaliação tem uma função diagnóstica que busca investigar os conhecimentos, competências  e habilidades que o aluno traz é formadora no sentido de acompanhar a aprendizagem, identificando os sucessos e as dificuldades desse processo de desenvolvimento, inclusive para orientá-lo, tem caráter de continuidade, visando reorganizar as ações educativas subsequentes.

Avaliação de aprendizagens complexas ou avaliação multimodal 

Amparada pela possibilidade de operar em métricas que reúnam grande quantidade de dados, o chamado
big data, a avaliação de aprendizagens complexas lança mão de uma série de ferramentas para identificar,
e então mensurar, as diferentes interações realizadas por um estudante que favorecem ou não sua aprendizagem sobre um determinado tema ou conjunto de temas. 

Esse tipo de avaliação, também chamada de multimodal, prevê a análise conjunta de dados que , observados de forma integrada e complementar, podem revelar informações complexas, buscando a qualificação dos processos de ensino e aprendizagem e da atuação dos envolvidos. 

Permite acompanhar o desenvolvimento do aluno de forma personalizada e enxergar além de seu desempenho acadêmico. Usa a tecnologia para fazer cruzamento de dados e conseguir insights que ajudam na melhora do ensino-aprendizagem.

Avaliação de Dados Pessoais/Profissionais

Processo seletivo para ingresso na educação superior que substitui a realização de provas e testes pelo exame dos dados pessoais (escolarização, cursos, histórico escolar) e ou profissionais (experiência e desempenho profissional).

Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA)

Avaliação prevista no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), a ser realizada no final
do 3° ano do Ensino Fundamental.

O objetivo dessa avaliação, coordenada pelo Inep, é avaliar periodicamente o nível de alfabetização alcançado pelas crianças ao final do ciclo de alfabetização.

Avaliação Seriada no Ensino Médio

Modalidade de acesso ao ensino superior que surgiu por iniciativa da Universidade de Brasília (PAS – Programa de Avaliação Seriada), que abre para o estudante do Ensino Médio o acesso à Universidade de forma gradual e progressiva, compreendendo avaliações realizadas ao término de cada uma das três séries.

O participante do PAS não está impedido de concorrer também ao vestibular tradicional, ao concluir a terceira etapa do processo.

Avanço Escolar

É a forma de propiciar ao aluno que apresente nível de desenvolvimento acima de sua idade, a oportunidade de concluir em menor tempo séries, períodos, ciclos ou etapas.

TOP
%d blogueiros gostam disto: