Gestão Escolar Como Fazer os Alunos Indicarem a Escola

GESTÃO ESCOLAR
COMO CRIAR UM ELO COM OS ALUNOS
E FAZER COM QUE ELES INDIQUEM A ESCOLA.

Confira aqui o passo a passo para se obter êxito nessa missão, com as melhores ações para retenção, fidelização e atração de novos estudantes para a escola.

OS DESAFIOS DO GESTOR ESCOLAR

Dentre as várias preocupações do gestor da escolar, existe o esforço para atrair novos estudantes, fazer bom uso dos recursos financeiros e manter a excelência na qualidade do ensino.

Um dos desafios que compete ao gestor escolar, é o de criar um elo com os alunos para garantir a boa reputação da instituição e impulsionar as indicações, a velha regra que vale para o mercado como um todo, também se aplica à educação: cliente satisfeito sempre traz outros clientes.

Por este motivo, é importante investir em estratégias para reter e fidelizar alunos, fazendo com que as expectativas dos já matriculados se cumpram e novas pessoas integrem o corpo docente da instituição.

Gestor Escolar - Desafios

1

Como a fidelização de seus alunos atrai novos?

Já adiantamentos o assunto, mas reforça-lo é necessário. Tenha em mente, em primeiro lugar, que é a partir da fidelização dos alunos já egressos que se torna possível atrais potenciais novatos para a escola.

Isso, passa, por sua vez, inevitavelmente por uma prática que não deve ser negligenciada pelos gestores da escola: a conhecida propaganda boca a boca.

Vamos considerar que uma instituição de ensino que conta com uma equipe qualificada, apresenta valores competitivos e investe em canais de comunicação com os seus clientes. Parece o cenário ideal, certo? No entanto, essa escola pode estar deixando de captar novos alunos por conta de conversas informais entre quem está buscando informações para tomar a decisão e quem já vive a experiência na escola.

O que a instituição fala de si mesma em sua divulgação tem certo peso, mas a opinião sincera a a partir da vivência escolar, conta muita mais na hora de fazer as escolhas.

Isso significa que você nunca deve pensar que quem já está na escola é uma preocupação a menos e a prioridade e focar todo o esforço em quem está fora. O trabalho para garantir a satisfação dos matriculados deve ser uma constante, evitando tanto a evasão quanto uma má reputação da escola.

O melhor plano é descobrir formas sistemáticas, e não pontuais, de fidelizar os alunos na escola. Acreditar nos valores, métodos e eficiência da escola, gerará multiplicadores da boa imagem da instituição e, por consequência, criará pontes para novos estudantes.

Nesse ponto, já ficou claro a importância de fidelizar alunos para garantir a saúde financeira e de operações da escola. Porém, não basta saber o que deve ser feito, é preciso entender também como esse processo deve ser executado.

Diante desse dilema de todo o gestor de escola, reunimos aqui 6 estratégias práticas para você implantar em sua instituição, no sentido de criar um elo com os estudantes e garantir de fato as indicações.

2

Esteja próximo da família do aluno

O primeiro passo é garantir que a escola, aluno e a família estejam integrados.

Trazer os pais do aluno para dentro da escola é a chance de mostrar que a experiência de estudar ali é agradável, potencializando a confiança na instituição.

Adicionalmente, a família entende que a escola está aberta ao diálogo, além de disposta a compartilhar situações e soluções para elas.

Ainda assim, essa interação deve ir muito além das já batidas reuniões de pais, por exemplo. Não que elas não sejam importantes para alinhar sistema de ensino, projeto pedagógico e expectativas, mas são insuficientes.

Muitas vezes, inclusive, são formais demais. Por outro lado, encontros mais leves e periódicos, levando em consideração a disponibilidade da família, podem ser bem mais produtivos para essa aproximação.

Dependendo do curso ofertado, como os profissionalizantes, o perfil dos alunos muda e essa integração precisa acontecer com maridos e esposas, namorados e namoradas, filhos e filhas dos estudantes egressos.

De qualquer forma, são válidas as mesmas dicas de criar situações descontraídas para a integração de todos. Outra prática recomendada é criar canais de comunicação mais rápidos e até mesmo mais intimistas com alunos e família.

Disponibilizar, para o familiar que tiver interesse, um número para troca de mensagens no WhatsApp, por exemplo, poupa aquela mãe que vive atarefada com o trabalho de parar o que está fazendo para ligar para a escola e tirar uma dúvida quanto à matrícula do filho adolescente.

Sem dúvida, é uma forma de diálogo mais prática e, se pensada com cuidado, menos dura e mais afetiva.

3

Ofereça atividades extracurriculares

Uma escola pode oferecer vários benefícios que se firmam como diferenciais competitivos para fidelizar seus alunos.

Oferecer atividades extracurriculares é um deles, sendo capaz de aumentar a chance dos laços entre escola e alunos se firmarem.

Mais ainda, as atividades extraclasse demonstram o interesse da instituição em trabalhar com uma proposta político-pedagógica diferente das demais, agregando valor à vida dos alunos de forma mais efetiva. Isso quer dizer que a instituição deve pensar para além do ambiente da sala de aula.

Oferecer dinâmicas relacionadas a idiomas ou mesmo oficinas de habilidades práticas, como um curso para aprender a montar e desmontar um computador, é uma boa forma de se destacar dos concorrentes.

Existe ainda a possibilidade de minicursos voltados para certificação profissional. Eles podem ser um bom momento de atividade extracurricular que vai trazer a família do aluno para dentro da sua escola (potenciais novos alunos) e estreitar o relacionamento com a instituição de ensino.

Para isso, a escola pode recorrer a convênios e parcerias com outras instituições ou profissionais autônomos que oferecem determinados serviços. Consequentemente, o projeto se torna mais viável financeiramente e o leque de parceiros se expande.

Além disso, torna-se possível vencer a barreira da disposição do espaço físico para as atividades. É fundamental, inclusive, oferecer espaços de apoio para que os estudantes possam passar o tempo entre as aulas da maneira mais apropriada para suas necessidades.

Oferecer um ambiente de descanso, por exemplo, pode auxiliar aquele aluno que tem a rotina corrida e precisa carregar o celular e respirar um pouco antes ou depois das aulas.

Um ambiente de jogos educativos online também será perfeito para que os alunos aprendam mais se divertindo. Da mesma forma que o espaço de descanso, esse não precisa ser tão grande ou complexo: basta ser funcional.

A sala de aula é importante, mas outros ambientes e dinâmicas não devem ser esquecidos pelo gestor da escola.

4

Valorize sua equipe

O atendimento muitas vezes é o ponto decisivo para um aluno permanecer na instituição. Há diversas escolas que possuem uma excelente estrutura e proposta interessante de ensino, mas não vão para a frente porque o atendimento é insatisfatório, assim como a qualidade das aulas. Isso faz com que a chamada experiência de compra — termo usado para tudo aquilo que engloba a aquisição de bens e serviços — seja falha.

Desde o momento em que o aluno chega procurando informações sobre a instituição até depois que finaliza o curso, essa experiência precisa ser agradável, acolhedora e eficaz. Por esse motivo, a equipe deve estar sempre coesa, garantindo apoio imediato e satisfatório aos estudantes diante de problemas, tendo flexibilidade e os entendendo para atender às expectativas dos alunos.

É preciso ainda que os profissionais envolvidos tenham a sensibilidade para gerenciar o relacionamento com os egressos da melhor maneira possível.

Mas um time alinhado não se faz sozinho. É essencial que o gestor da escola valorize seus funcionários, seja qual for o cargo. Portanto, um ambiente de trabalho saudável para esses colaboradores é pautado pela transparência, confiança e certeza de que esse é um importante público de relacionamento.

Nesse sentido, a valorização da equipe escolar se dá a partir de inciativas como premiação por desempenho, plano de cargos e salários justos (a depender do porte da escola), feedbacks constantes e abertura para diálogo.

Se dá ainda pelo investimento contínuo no aprimoramento da equipe de trabalho, seja por meio de treinamentos internos periódicos, seja mediante cursos externos de capacitação.

Outras ações simples, como oferecer um espaço de apoio para os instrutores e outros funcionários tomarem um café, descansarem um pouco ou mesmo prepararem a aula será de grande impacto.

5

Mantenha o contato com alunos ausentes

Os alunos que estão com a matrícula suspensa ou até mesmo aqueles que já concluíram seus cursos não podem ser deixados de lado. É necessário manter o vínculo, pois essas mesmas pessoas podem voltar em um momento posterior e, mais ainda, podem fazer com que outras pessoas procurem a instituição.

Mantenha uma lista de contatos constantemente atualizada desses estudantes ausentes. Envie e-mails periódicos com assuntos interessantes, promova encontros de confraternização e os convide para palestras e outros eventos na escola, como rodas de conversa.

Ofereça promoções exclusivas para antigos alunos ou que estão com a matrícula trancada. Eles sentirão que a escola realmente está se esforçando para tê-los de volta e que os valoriza.

Matrículas e mensalidades com preços especiais, condições diferenciadas de pagamento ou algum bônus vão cumprir bem esse propósito.

6

Invista em marketing de conteúdo

A construção de uma imagem compatível com os objetivos, valores e missão da instituição é um caminho essencial para atrair novos alunos, mas também para atender os já matriculados.

Mas não basta criar canais de comunicação que não sejam eficazes e não despertem interesse de quem você quer atingir. Afinal, os estudantes não se deixam seduzir por propagandas invasivas ou ações “mais do mesmo”.

Nesse sentido, investir em marketing de conteúdo pode ser o diferencial que faz de um aluno em potencial um verdadeiro aluno da instituição. Isso porque a prática consiste em oferecer conteúdo relevante para as personas, que são uma espécie de materialização/personificação do público que você deseja atingir.

Dessa forma, o conteúdo deve agregar valor e despertar a atenção justamente por ser útil. Com esse método, é possível atingir as várias fases da compra, atraindo, treinando, retendo e fidelizando seu cliente.

Entre os conteúdos de relevância que você pode oferecer estão e-books de download gratuito, tutoriais, infográficos em blogs, pesquisas e guias, checklists e webinars (treinamentos transmitidos ao vivo, por exemplo).

Identificando bem a persona, a instituição consegue adotar ações que realmente impactem a vida de seu público e gerem novas matrículas.

Divulgue seus resultados

Pode parecer óbvio, mas nem toda instituição de ensino sabe a importância de divulgar seus resultados, e nem como fazer isso. Ainda assim, indicadores positivos sobre a escola auxiliam na criação de uma imagem sólida e confiável, podendo atrair novos alunos e fazer com que os atuais queiram permanecer.

Fazendo isso, a escola ainda ganha pontos em transparência, o que é o ingrediente chave para construir um elo consistente e duradouro com os alunos. Por esse motivo, não deixe de divulgar informações como:

  • Dados sobre as conquistas profissionais de estudantes da instituição;
  • Notícias sobre o reconhecimento acadêmico da escola;
  • Resultados de concursos nos quais os alunos tiveram sucesso;
  • Destaques no mercado de trabalho, entre outros.

Essa apresentação de resultados pode ser feita de diversas maneiras, por meio de e-mail marketing, site e blog da instituição, mídias sociais e ainda pelo intermédio da mídia espontânea.

A reputação de uma escola não se faz da noite para o dia. Ao contrário, demanda tempo e bastante investimento em ações estratégicas para que a imagem que a instituição deseja passar e manter, se sustente.

Por isso, para fidelizar alunos, criando com eles um elo de confiança e fazendo com que indiquem a escola para outras pessoas, é preciso atenção a cada esfera que compõe o negócio educacional.

O olhar do gestor escolar deve ser voltado tanto para a funcionalidade da estrutura da escola quanto para uma proposta menos dura e mais próxima de ensino. Tanto para a facilitação de canais de comunicação para que o diálogo entre família, estudante e escola aconteça quanto para a valorização constante da equipe de trabalho e consequente alto desempenho e produtividade.

A tarefa não é simples, e nós sabemos bem. Mas esperamos que, com as dicas práticas que reunimos neste material, você encontre novo fôlego para tirá-las do papel e colocá- las em operação em sua instituição de ensino.

O resultado, sem dúvidas, será a satisfação dos alunos já existentes e o sucesso na atração de novos.

TOP